Bem vindos ao blogue dedicado ao concelho de Alfândega da Fé, quem quiser contribuir com fotos e informações façam para o mail: sandramcrocha@sapo.pt

Direitos de Autor
Nenhuma fotografia deste site pode ser reproduzida sem a prévia permissão do autor. Todas as fotografias estão protegidas pelo Decreto-Lei n.º 63/85, de 14 de Março.
Quando as fotos não são da minha autoria, estão autorizadas pelo seu dono e é colocado o nome.
Uma vez que parte das fotografias foram feitas em locais públicos mas sem autorização dos intervenientes, se por qualquer motivo não desejarem que sejam divulgadas neste blog entrem em contacto comigo e serão retiradas de imediato.

quinta-feira, 28 de Junho de 2012

Festa em honra de São Tomé, Vilarelhos - 07/07/2012


Alfândega da Fé: Autarquia diz que depende dos pais eventual regresso de professor ilibado de abuso sexual



Alfândega da Fé, 28 jun (Lusa) -- A presidente da Câmara de Alfândega afirmou hoje que um eventual regresso à atividade letiva naquele concelho do professor agora ilibado das acusações de abuso sexual de menores dependeria sempre dos pais.

Berta Nunes comentava à Lusa a recente sentença do Tribunal que ilibou o professor de música que, em outubro, foi afastado das atividades extracurriculares nas escolas do concelho transmontano, na sequência de uma notícia sobre a acusação de abuso sexual de menores.

Os factos estavam relacionados com a atividade do professor noutro concelho, o de Alijó, mas apesar "não haver problemas conhecidos" em Alfândega da Fé, o professor foi afastado das aulas pela autarquia depois de ouvidos os pais dos alunos.

O professor deixou de dar aulas, mas continuou a receber o salário já que, segundo disse hoje à Lusa Berta Nunes, o município não viu "qualquer razão para rescindir o contrato, nem do ponto de vista moral, nem legal".

O contrato termina agora, segundo ainda a autarca, e o município não sabe ainda se será necessário reforçar o quadro de pessoal para as atividades extracurriculares

Depois de avaliar as necessidades de docentes, se for aberto concurso público para Música e o professor em causa voltar a concorrer, o município garante que irá "sempre ouvir os pais".

A autarca lembra que no caso de Alfândega da Fé "o problema foi somente a notícia publicada na imprensa sobre o professor, que criou bastante alarme".

"Eu, pessoalmente, tenho uma filha que era aluna dele e não tenho nenhum problema e as crianças pareciam gostar bastante dele, que motivava bastante os miúdos", afirmou.

Ver noticia completa aqui

quarta-feira, 27 de Junho de 2012

Festival 7 Sóis Sete Luas a 7 e 28 de julho em Alfândega da Fé


No ano em que comemora 20 anos o Festival Sete Sóis Sete Luas combate a crise e volta a Alfândega da Fé, pela terceira vez, aquecendo o Largo de S. Sebastião com os ritmos da Calábria e da Croácia em estreia nacional.

O Festival Sete Sóis Sete Luas (www.7sois.eu), com o importante apoio do Programa Cultura da União Europeia e da Câmara Municipal de Alfândega da Fé, este ano celebra duas décadas de existência (1993-2012) e continua a sua longa viagem pelas rotas musicais, artísticas e turísticas que unem o Mediterrâneo ao mundo lusófono. 
Nascido entre Portugal e Itália, o Festival Sete Sóis Sete Luas desenrola-se, hoje, ao longo de um itinerário que conta já com 30 cidades em 11 Países, entre os quais Brasil, Cabo Verde, Croácia, Espanha, França, Grécia, Israel, Itália, Marrocos, Portugal e Roménia. O Festival envolve mais de 400 artistas, oferecendo cerca 150 concertos de música popular contemporânea, acompanhados de exposições de artes plásticas, contando com mais de 60 estreias nacionais e 180.000 espectadores anuais. Em Portugal, para além de se realizar em Alfândega da Fé, o Festival passa também por Castro Verde, Odemira, Ponte de Sôr e Reguengos de Monsaraz (Alentejo), Oeiras (Estremadura) e Madalena (Açores).

O Cartaz Musical
O Festival SSSL abre com a música da Calábria (Itália): em palco, na noite de Sábado, 7 de julho, vão estar os Jureduré. O nome dos Jureduré provém de uma antiga fábula da Calábria e em português significa "flor do rei". O grupo, embora tenha nascido em Bolonha, em 2004, é composto por sete músicos, todos com origem na região da Calábria. Trabalham ativamente desde 2006 em músicas para cinema e interpretaram bandas sonoras de realizadores relevantes como Giorgio Diritti no pluriprémiado "O homem que chegará", e na obra "O voo", cuja ação se desenrola numa aldeia da Calábria do realizador alemão Wim Wenders. Os Jureduré levam ao palco os sons, as atualidades e as memórias históricas que constituem o fio condutor da sua história musical, suspendida entre as origens calabresas e a adoção de Bolonha. 
No Sábado, 28 de julho, a viajem é até à Cróacia com os Gustafi: 9 músicos que contam com mais de 1300 concertos ao vivo. De acordo com o crítico Sven Semencic, "Gustafi são ao mesmo tempo uma sensação estritamente regional e o produto mais completo da música do mundo de fabrico caseiro". Os espetáculos ao vivo da mais ambiciosa e melhor sucedida banda croata são baseados numa mistura de música autêntica, aparentemente impossível - de tal modo que até David Byrne, impressionado, juntou-se à banda no palco, durante um dos concertos de Gustafi em Zagreb, dando vida a um espetáculo fantástico e inesquecível. 

quinta-feira, 21 de Junho de 2012

Alfândega da Fé: Burlão leva 500 euros a idosa

Um homem de meia-idade que se fez passar por funcionário da Câmara Municipal de Alfandega da Fé burlou um octogenária em mais de 500 euros, em Sambade no concelho de Alfândega da Fé, "tinham-lhe dito que as notas de 50 euros tinham passado de validade e ela tinha que trocar essas notas. Nós informamos de imediato a GNR que se deslocou à Junta de Freguesia, foram a casa da senhora para ver se lhe tinham tirado mais alguma coisa", explicou o Presidente da Junta de Sambade, Carolino Pimentel, acrescentando ainda que "as pessoas devem ter cuidado com pessoas que não conhecem e que devem imediatamente informar a Junta de Freguesia ou a GNR".
Fonte da GNR confirmou a alegada burla, acrescentando ainda que o burlão é um homem de meia idade com uma estatura de cerca de 1.75cm de altura. As autoridades estão já a investigar o caso.


Ver noticia aqui

Comemoração feriado municipal em Alfândega da Fé - 29/06/2012


Câmara de Alfândega tem de assumir dívida da estalagem

O Tribunal de Contas ainda não autorizou a venda da Estalagem da Senhora das Neves, em Alfândega da Fé. A Câmara lançou o concurso no final de 2010, o vencedor foi o grupo GESVIMA, mas o negócio só pode ser concretizado depois do visto do Tribunal de Contas.   A presidente da Câmara de Alfândega da Fé, Berta Nunes, diz que o problema está relacionado com o facto do município ter que assumir parte da dívida.“O que acontece é que quando nós fizemos o plano de saneamento financeiro ficou escrito que iríamos vender a Alfandega Tur por um euro, porque tínhamos a expectativa que alguém assumisse todo o passivo, de cerca de 2,5 milhões de euros. Quem ganhou o concurso só assume 1,65 milhões e a Câmara tem que assumir a restante dívida. A legislação não está clara e nós propusemos ao Tribunal de Contas assumir directamente essa dívida, que já é uma dívida da autarquia”, explica Berta Nunes.


Ver noticia completa aqui

Vila transmontana recebe primeiro encontro nacional de 'coworking'

 A vila transmontana de Alfândega da Fé acolhe, no sábado, o primeiro encontro nacional de “coworking”, um momento de reflexão entre aqueles que optaram por partilhar instalações para ultrapassar a solidão de trabalhar em casa.
Alfândega da Fé está a instalar um centro deste género, que será o primeiro espaço de 'coworking' de Trás-os-Montes e em mundo rural e um dos três existentes no país a funcionarem em espaços públicos, segundo anunciou hoje a autarquia local.
Em Portugal, existem dez centros referenciados e 28 em fase de instalação que resultam de uma nova tendência de trabalho, com origem nos Estados Unidos da América, que reúne no mesmo espaço pessoas de diferentes áreas, que embora trabalhem de forma independente, compartilham valores e encontram as sinergias necessárias para fazer vingar a sua ideia ou negócio, segundo ainda o município.
«O 'coworking' é entendido como o sucedâneo do teletrabalho, mas com uma componente de sociabilização que não existia no seu antecessor, que privilegia o isolamento social», explica a autarquia, numa nota às redacções.

Ver noticia completa aqui

terça-feira, 19 de Junho de 2012

Bombeiros vão transportar alunos

Várias corporações de bombeiros do distrito de Bragança vão candidatar-se ao transporte de alunos para as escolas como forma de contornar as dificuldades económicas
Várias corporações de bombeiros do distrito de Bragança vão candidatar-se ao transporte de alunos para as escolas como forma de contornar as dificuldades económicas, confirmou ao Mensageiro o presidente de Federação de Bombeiros do Distrito de Bragança, Diamantino Lopes. As corporações estão já adaptar a sua frota de viaturas que se destinava ao transporte de doentes às consultas, carrinhas de oito lugares, uma vez que este tipo de serviço diminuiu consideravelmente com a redução das comparticipações por parte do Ministério da Saúde. Nesta lista estão os Bombeiros de Alfândega da Fé e Vinhais que poderão vir a transportar alunos já no próximo ano lectivo. Em Mogadouro e Torre de Moncorvo os bombeiros já asseguram o transporte de crianças e jovens portadores de deficiência entre a residência e a escola. As dificuldades financeiras provocadas pela redução de 50 por cento dos apoios está a afectar a generalidade das associação humanitárias dos bombeiros do distrito. “As que ainda não têm dificuldades caminham para lá”, garantiu o presidente da Federação. Estes problemas levaram os bombeiros a decidir reduzir a sua presença em eventos, tal como vinham fazendo até aqui, na maioria dos casos, a título gratuito, apesar de terem gastos com combustível, desgaste de viaturas e disponibilizarem recursos humanos. “Havia uma tabela de preços para a presença em eventos, nomeadamente desportivos e de lazer, cujos valores eram simbólicos, e que agora fomos obrigados a rever”, acrescentou Diamantino Lopes.
Ver noticia completa aqui

Centenas de pessoas contra o encerramento de tribunais em Alfândega da Fé - Reportagem SIC

segunda-feira, 18 de Junho de 2012

Transmontanos protestam contra fecho dos tribunais - Reportagem RTP


Os transmontanos começaram esta manhã a protestar contra o encerramento dos tribunais. Só hoje há manifestações em Miranda do Douro, Carrazeda de Ansiães e Alfandega da Fé.


Multidão na rua contra o encerramento do tribunal de Alfândega da Fé


Os alfandeguenses saíram esta manhã de segunda-feira à rua em protesto contra o anuncio do encerramento do tribunal do concelho, incluído na lista dos 54 que segundo a nova proposta do mapa judiciário deverão encerrar.
Os populares consideram que perder mais um serviço é uma machadada no concelho e mais um passo para "fechar o interior", acusaram através dos cartazes que empunhavam.
O acesso à justiça vai ser mais difícil, apesar de ainda não se saber se Alfândega da Fé vai passar a ser servido pelo Tribunal de Torre de Moncorvo ou pelo de Bragança.
"Não há transportes com horários adequados para podermos resolver os assuntos. Seremos obrigados, quem não tiver carro próprio, a recorrer ao táxi e levar as testemunhas. É um grande transtorno e um gasto de dinheiro", explicou António Silva, residente no concelho.
Berta Nunes, autarca de Alfândega da Fé, garante que está satisfeita porque alguns concelhos vão manter o tribunal ao contrario do anunciado, no entanto não se conforma com o fim do serviço da vila que lidera.
"Não faz sentido. Não percebemos quais os critérios que estão na origem da proposta. A ministra da Justiça ainda não explicou o que vai melhorar na justiça com o fim de alguns tribunais", explicou a edil.

Ver noticia completa aqui

Alfândega da Fé: Berta Nunes nega dívida ao fisco e Segurança Social

A presidente da Câmara de Alfândega da Fé, Berta Nunes, garantiu que o município não tem dívidas ao fisco ou à Segurança Social.

A presidente da Câmara de Alfândega da Fé, Berta Nunes, garantiu à RBA que o município não tem "qualquer divida ao fisco ou Segurança Social que impeça de recorrer aos fundos disponibilizados pelo Governo” para que autarquias possam equilibrar as suas finanças e pagar aos fornecedores num prazo de três meses. A autarca garante mesmo, que as dívidas do município começam a ficar controladas, "temos ainda que fazer mais cortes e ser sustentáveis, mas não estamos de modo algum em situação de ficar a dever ao fisco ou à Segurança Social". No entanto, por Alfândega da Fé circulou uma certidão que dava conta de uma alegada divida ao fisco, situação que é classificada como um erro de interpretação, "esse foi um erro que resultou das finanças, quando fomos pagar o imposto extraordinário do subsidio de Natal do ano passado, houve um registo incorrecto, gerou um valor que passou de uma rubrica para outra que apareceu como dívida, mas já foi rectificado". Berta Nunes, concluiu, dizendo que, os documentos são colocados numa plataforma e que todos os funcionários podem ter acesso e por esse motivo desvalorizou o incidente.


Ver noticia aqui

População de Alfândega exige abate de choupos que provocam alergias

24 moradores do bairro social de Alfândega da Fé exigem à autarquia local o abate de choupos que estão a provocar alergias à população.
Há dois anos que os habitantes pedem à Câmara a resolução do problema, que se tem vindo a agravar com o aumento da quantidade de “algodão” libertado pelas árvores.
“À medida que vão crescendo a quantidade daquele algodão é muito maior. Não podemos ter as janelas de casa abertas. Não podemos estar lá fora ao fresco que aquilo parece neve a cair”, afirma Vítor Ferreira, morador no bairro.
Esta situação tem causado problemas de saúde às pessoas. “Fui parar ao hospital duas vezes, devido às alergias. São dias que falto ao trabalho e ninguém mos paga”, realça Vítor Ferreira.
Também Mariano Adão, morador no bairro, salienta que é um problema de saúde pública e lamenta o facto da Câmara ainda não ter abatido os choupos.
“A minha filha tem asma e a minha sobrinha só de passar ali ficou com a cara três vezes mais e teve que levar injecções de cortisona. Isto assim não pode ser”, frisa o morador.
Esta situação já foi comunicada ao delegado de saúde de Alfândega da Fé, que reconheceu que as árvores despoletam situações de alergias, mas disse não poder resolver o problema.
Os moradores querem, agora, que a Câmara corte o mal pela raiz.

Ver noticia completa aqui

sexta-feira, 15 de Junho de 2012

II WORKSHOP DE REIKI - 16/06/2012 em Alfândega da Fé


Dragon Force vai chegar a Alfândega da Fé


Alfândega da Fé vai ter uma Escola de Futebol do F.C.Porto, a Dragon Force. O projecto de formação a desenvolver na vila transmontana resulta das conversações entre a Casa do F.C.Porto de Alfândega, o clube azul e branco e a autarquia local.
António Jorge Alendouro, presidente da filial portista, espera ver a escola instalada ainda este ano, possivelmente em Setembro. O dirigente acredita que o projecto vai dar projecção à vila e também ao distrito:“Eu acredito que qualquer pai gosta de ver o filho praticar futebol numa escola destas. Sim vamos receber crianças de outros pontos do distrito já que por aqui não há mais nenhuma escola do F.C.Porto”. A Dragon Force em Alfândega vai receber crianças com idades compreendidas entre os 4 e os 14 anos e já há inscrições. O presidente da Casa do F.C.Porto referiu que até ao momento estão já inscritos “cerca de uma centena de atletas apesar de o projecto ainda não ter passado do papel. A nível de infra-estruturas Alendouro assegura que a vila tem boas condições para instalar a escola de futebol e já” foram aprovadas pelo coordenador geral da Dragon Force:“Quando o coordenador esteve aqui em Alfândega gostou das infra-estruturas. A nossa vila tem condições para receber a Dragon Force”.


Ver noticia completa aqui

quinta-feira, 14 de Junho de 2012

III Trial TT trouxe adrenalina a Alfândega da Fé


Máquinas e pilotos foram colocados à prova na III Resistência de Trial TT em Alfândega da Fé.
Uma pista de três quilómetros foi preparada com os obstáculos que só a perícia de quem sabe manobrar o veículo TT conseguiu passar. Durante três horas 15 pilotos mostraram perícia e habilidade contando para isso com a ajuda dos co-pilotos, determinantes no estudo do obstáculo e indicação de manobras. O percurso era bastante técnico e os navegadores utilizaram com frequência guinchos, um traçado duro só mesmo para os mais destemidos. Em prova dois pilotos que participam no Campeonato Nacional de Trial, Alexandre Lemos e Vítor Ribeiro.
O número de pilotos “correspondeu às expectativas” segundo Ricardo Pimentel da organização a cargo da Sambade Aventura e Associação de Alfândega TT. 

Ver noticia completa aqui

Um pequeno resumo da Festa da Cereja


A mais bela e deliciosa cereja do mundo :)





O nosso melhor artesão Manuel Lopes cada ano melhor adorei os teus novos trabalhos



Só tirei estas duas fotos porque não estava com o mesmo entusiasmo os alfandeguenses tanto pediram para fazer mais uma na festa e apenas 4 participaram o resto era tudo de fora e apenas duas dezenas de pessoas a assistir, é claro que o tempo não ajudou mas com vários eventos a decorrer ao mesmo tempo para uma localidade tão pequena algum iria perder.

Do trial não tirei nenhuma parecia mais uma prova privada e não para espectadores, era boa sim para os pilotos mas para nós não era muito grande, a parte melhor com fracos acessos e o pó era tanto que nem tirei a máquina.

Devem estar a perguntar só estas fotos?... (a noite foi muito longa já não tenho idade para estas coisas ahaha)

Para o ano há mais... :)

quarta-feira, 13 de Junho de 2012

Mais cereja vendida em Alfândega da Fé

Cerca de sete toneladas de cereja foram vendidas durante os três dias da Festa da Cereja em Alfândega da Fé, certame que terminou ontem, com um balanço de mais duas toneladas em relação à edição de 2011.No entanto, para os pequenos produtores do concelho as vendas ficaram aquém do esperado.   Os expositores queixam-se da falta de procura e das toneladas do fruto que não conseguem escoar, e que acabam por ficar em armazém.“Não há dinheiro, não há gente. Vendi muito menos do que no ano passado e tenho os pomares cheios dela que vai ficar lá toda. Nem sequer há pessoal para a apanhar”, refere Altina Oliveira.“Vim ajudar uns primos a escoar o produto pois tem sido um pouco difícil dada a conjuntura económica para ver se se faz algum dinheiro”, afirma Sérgio Pinto.Opinião contrária têm os vendedores de produtos regionais, pão e pastelaria. Para estes as vendas superam as expectativas e há quem refira que a melhoria das acessibilidades, a construção do IC5, trouxe mais visitantes.


Ver noticia completa aqui

sexta-feira, 8 de Junho de 2012

Escola Municipal de Teatro abrilhanta Festa da Cereja - Projeto já deu origem ao grupo de teatro concelhio

Um ano após a fundação a Escola Municipal de Teatro mostra-se plena de atividade e continua a envolver miúdos e graúdos. São mais de 40 alfandeguenses que integram este projeto e que ao longo deste período foram ganhando experiência e autonomia. O grupo prepara-se para abrilhantar o primeiro dia da Festa da Cereja, com o “Bailinho da Cereja”.

A performance assenta nos tradicionais bailes populares e dá a conhecer algumas das brincadeiras e tradições associadas a este fruto. A actuação está marcada para as 21.00h, do dia 8 de junho. Já não é a primeira vez que este grupo se associa a eventos e comemorações que têm lugar no concelho. No 25 de abril, celebram o dia da liberdade com a representação da “Assembleia do Povo”. O auditório da Casa da Cultura encheu para ver desfilar uma peça sobre a vida política local, nesta que é já a terceira produção deste grupo. 
Recorde-se que a Escola Municipal de Teatro resultou de um protocolo entre o Município e a companhia de Teatro Filandorra. O objetivo foi fornecer os instrumentos necessários para impulsionar a formação grupo de teatro concelhio, ao mesmo tempo que se contribui para a ocupação dos tempos livres dos alfandeguenses. Com o objetivo inicial alcançado a Filandorra vai continuar a acompanhar a atividade deste grupo, agora com formação menos intensiva, mas sempre com a finalidade de possibilitar a produção de espetáculos deste grupo amador. O que é facto é que se está a revitalizar a tradição de teatro amador no concelho e o grupo até já ganhou o nome de TAFE - o Grupo de Teatro Amador de Alfândega da Fé. 

Alfândega da Fé: Grupo espanhol investe na amêndoa transmontana


Um grupo espanhol que há um século se dedica à comercialização de amêndoa instalou-se em Alfândega da Fé, no Nordeste Transmontano, e promete comprar, já na campanha que se avizinha, um milhão de quilos aos amendoais transmontanos.
A nova estrada, o IC5, que atravessa todo o sul do Distrito de Bragança, ligando à fronteira com Espanha e ao Porto, foi "decisivo" para a concretização do investimento espanhol, que numa fase inicial superará os 600 mil euros, segundo disse hoje à Lusa um dos sócios, Mateu Morales.
Os investidores adquiriam um pavilhão na zona industrial de Alfândega da Fé por 370 mil euros, que está a ser equipado com maquinaria num valor próximo de 300 mil euros para começar a laborar já na próxima campanha da amêndoa, que deverá iniciar-se dentro de um mês.


Ler mais: http://visao.sapo.pt/alfandega-da-fe-grupo-espanhol-investe-na-amendoa-transmontana=f668798#ixzz1xBlg9aKB

sexta-feira, 1 de Junho de 2012

Alfândega da Fé e Freixo de Espada à Cinta vão aproveitar novo crédito

Municípios à espera de beneficiar da linha de crédito disponibilizada pelo Governo para aliviar a dívida a curto prazo
A Câmara de Vimioso não vai beneficiar do acordo celebrado na passada segunda-feira entre os municípios e o Governo “porque tem as contas em dia”, adiantou o vice-presidente, Jorge Fidalgo. Esta autarquia não tem dívidas a curto prazo e os pagamentos aos fornecedores são feitos em 15 ou 20 dias. “Em 2011 a única factura que ficou pendente foi saldada no dia 3 de Janeiro de 2012. Também temos cumprido os nossos compromissos com a banca e temos investimentos em curso”, acrescentou o autarca. Esta situação de saúde financeira, apesar dos cortes nas transferências do Estado, é fruto de uma boa gestão. “Muito controlada, onde não se dão passos maiores do que as pernas”, desvendou Jorge Fidalgo. Também Bragança não vai poder recorrer a esta linha de crédito por ter equilíbrio financeiro nas contas e a dívida a curto prazo estar controlada. “Nem vamos recorrer, nem podemos porque não precisamos”, explicou o presidente da Câmara, Jorge Nunes. Se Vimioso e Bragança não vão precisar de recorrer à linha de crédito até mil milhões de euros para pagamentos de dívidas vencidas há mais de 90 dias, há diversos municípios no distrito de Bragança que serão obrigados a fazê-lo. Alfândega da Fé é um desses casos, uma vez que faz parte da lista de 52 municípios em desequilíbrio financeiro. Berta Nunes, a autarca local, admite que o acordo “pode ser uma ajuda para pagar as dívidas a curto prazo, mas por outro pode condicionar fortemente o investimento e isso é preocupante”. O acordo entre a Associação Nacional dos Municípios Portugueses (ANMP) define que quanto ao Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN), é estabelecida a necessidade de uma avaliação conjunta da capacidade de concretização dos projectos por parte dos municípios nos calendários programados. “Ainda não sabemos de que maneira as candidaturas ao próximo QREN vão ser afectadas”, acrescentou Berta Nunes, que teme que os municípios passem a ter uma margem de investimento mais reduzida. As obras grande sobras em curso em Alfândega da Fé, nomeadamente a requalificação do centro histórico e a entrada poente da vila, deverão prosseguir sem problemas. “Nas pequenas obras, por ajuste direito, que nós íamos fazendo, não havia problemas de pagamento, sempre pagamos ao fornecedores. Se deixarmos de o poder fazer o comércio local vai ser afectado porque trabalhava muito com a Câmara”, explicou a edil.
Ver noticia completa aqui