Bem vindos ao blogue dedicado ao concelho de Alfândega da Fé, quem quiser contribuir com fotos e informações façam para o mail: sandramcrocha@sapo.pt

Direitos de Autor
Nenhuma fotografia deste site pode ser reproduzida sem a prévia permissão do autor. Todas as fotografias estão protegidas pelo Decreto-Lei n.º 63/85, de 14 de Março.
Quando as fotos não são da minha autoria, estão autorizadas pelo seu dono e é colocado o nome.
Uma vez que parte das fotografias foram feitas em locais públicos mas sem autorização dos intervenientes, se por qualquer motivo não desejarem que sejam divulgadas neste blog entrem em contacto comigo e serão retiradas de imediato.

terça-feira, 28 de Agosto de 2012

domingo, 5 de Agosto de 2012

A falta de civismo do nosso povo





Já estou farta de ver este cenário lamentável do local do meu trabalho. O funcionário do ecocentro tem ordens para não recolher o que colocam fora das instalações porque assim torna-se um hábito, e até acho justo. O problema é que as pessoas adoram colocar aqui todo o tipo de lixo seja ele comum que vai para um simples contentor como material para reciclar.

Primeiro queixavam-se com o horário do ecocentro que funcionava só uma parte do dia outras diziam que nem sabiam o horário, mentira, tem afixado e está bem grande. Agora mudaram o horário continua igual até se consolam 30m ou 15m antes de abrir aí de o colocar, se o depositassem dentro das instalações já não era grave agora no passeio? Primeiro estavam lá dois contentores, ouve um dia que o lixo já era tanto que já chegava a meio da estrada, o município tirou-os de lá na boa fé, a pensar que as pessoas entendiam o porquê e fixaram um painel a dizer que é proibido depositar ali lixo para se deslocarem ao ecocentro, não valeu de nada, isto está cada vez pior.

Não percebo porque o município quando veio a tirar outro lixo continuou a deixar o vidro de automóvel ali, até uma criança pode ferir-se, não pode ir para lado nenhum?

O que está dentro dos portões que é o armazém do município está roupa, calçado, cadeiras, etc... já entraram lá e bem viram e ainda não tiveram coragem de o tirar.

Senhores da autoridade, verdes, município, gnr seja quem for façam alguma coisa, esta imagem não é nada bonita de uma localidade que a querem por de cara lavada.

Inauguração da requalificação da estrada dos Vales

sexta-feira, 3 de Agosto de 2012

Sunset Party no Hotel Spa de Alfândega da Fé - Video

Museu rural criado em antiga escola primária

A antiga escola primária de Sambade, no concelho de Alfândega da Fé, foi transformada num museu rural. Em tempos já teve mais de 150 alunos, mas hoje ficou sem crianças e o espaço foi preenchido com peças que antigamente eram usadas nas lides domésticas e agrícolas.  O autarca de Sambade, Carolino Pimentel, realça que só foi possível concretizar esta obra com o empenho da população.“Esta ideia surgiu logo quando vim para a Junta de Freguesia, estou no quarto mandato. Desde o início comecei a pedir as coisas às pessoas, que aderiram muito bem. E eu comecei a reunir as peças. Agora tínhamos esta escola livre e trouxemos os objectos para aqui. Agora vamos aguardar que um projecto da Câmara seja aprovado para alargarmos isto muito mais”, conta o autarca.Centenas de peças que remetem para os tempos de antigamente preenchem os recantos desta antiga escola. Desde os quartos de outros tempos, à cozinha tradicional com lareira e aos artefactos usados nas lides agrícolas. São inúmeras as peças que retratam as tradições desta aldeia.


Ver noticia completa aqui

Alfândega transforma escolas em lares

As crianças dão lugar aos seniores. Em Gebelim e em Parada, no concelho de Alfândega da Fé, as escolas do 1.º Ciclo ficaram sem alunos e agora vão ser transformadas em lares de Terceira Idade.
A presidente da Câmara Municipal de Alfândega da Fé, Berta Nunes, salienta que a autarquia está a apostar na construção de pequenos lares nas freguesias, para não desenraizar os idosos do seu meio.
Estes dois lares vão ter cerca de 20 camas e vão dar resposta também a necessidades sociais na área envolvente às aldeias onde vão ser implementados. Além disso, estas novas infra-estruturas também vão permitir criar emprego no Mundo Rural.
Trata-se de um investimento que ronda o meio milhão de euros, comparticipados pelo PRODER e pelo Fundo do Baixo Sabor. As obras deverão avançar dentro de três meses e só deverão estar concluídas no final do próximo ano. Incertos estão os acordos com a Segurança Social, mas Berta Nunes acredita numa solução.

Ver noticia aqui